Envie seu currículo

Informações

Destinação correta para as embalagens
Por que dar um destino correto para as embalagens?

O principal motivo para dar destinação final correta para as embalagens vazias de agrotóxicos é diminuir o risco de saúde das pessoas e de contaminação do meio ambiente. Como a maioria das embalagens é lavável, é fundamental a prática da lavagem para a devolução e destinação final correta.

O que o agricultor deve fazer após usar as embalagens?

O agricultor deve preparar as embalagens vazias para devolvê-las nas unidades de recebimento, considerando que cada tipo de embalagem deve receber tratamento diferente:

  • Tríplice Lavagem
    • Esvaziar totalmente o conteúdo da embalagem no tanque do pulverizador;
    • Adicionar água limpa à embalagem até 1/4 do seu volume;
    • Tampar bem a embalagem e agitar por 30 segundos;
    • Despejar a água da lavagem no tanque do pulverizador.
    • Inutilizar a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo;
    • Armazenar em local apropriado até o momento da devolução.
  • Lavagem Pressão
    • Após o esvaziamento, encaixar a embalagem no local apropriado do funil instalado no pulverizador;
    • Aclonar o mecanismo para liberar o jato de água limpa;
    • Direcionar o jato de água para todas as paredes internas da embalagem por 30 segundos;
    • A água de lavagem dever ser transferida para o interior do tanque do pulverizador;
    • Inutilizar a embalagem plástica ou metálica, perfurando o fundo;
    • Armazenar em local apropriado até o momento da devolução.

Quando e onde as embalagens vazias devem ser devolvidas pelo agricultor?
Quando?

As embalagens vazias devem ser devolvidas juntas com suas tampas e rótulos quando o agricultor reunir uma quantidade que justifique o transporte.

O agricultor tem o prazo de até 1 ano depois de compra para devolver as embalagens vazias. Se sobrar produto na embalagem, poderá devolvê-la até 6 meses após o vencimento.

Onde?

O agricultor deve devolver as embalagens vazias na unidade de recebimento indicada pelo Revendedor no corpo da Nota Fiscal.

Endereços de nossa região:

Local Endereço Telefones Atendimento de
Atibaia / SP Estr. Municipal Cachoeira Boa Vista, km18 (11) 9368-8778  -  (11) 8572-0017 2ª e 6ª feira das 13:30 às 17:30 h
Valinhos / SP Rod. Dom Pedro I - km 122 - Antigo Aterro Sanitário (19) 9789-6795  -  (19) 3869-8481 3ª e 6ª das 07:30 às 11:30 e 13 às 17h
Pouso Alegre / MG Estrada Municipal dos Ferreiras s/n
pouso.alegre@embalagensvazias.org.br
(35)3429-8016  -  (35) 9168-9120
(35) 9168-9121
2ª a 6ª feira das 08:00 às 17:00 h
*Fonte: Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias

Como coletar amostras de solo
  • Como coletar amostra de solo para análise
    • A propriedade pode ser dividida em glebas. O tamanho das glebas depende da topografia e demais critérios para identificar porções homogêneas. Recomenda-se que não exceda 20 ha.
    • O objetivo da amostra é representar a gleba.
    • As glebas devem apresentar a mesma topografia, cor de terra, cultura, idade da cultura, manejo, etc.
    • A amostra superficial da gleba representa a terra da profundidade 0 a 20 cm, retirada em 15 a 20 pontos diferentes, contribuindo cada um com o mesmo volume de material. Da mesma maneira, a amostra subsuperficial, na profundidade de 20 a 40 cm.
    • Cada ponto é coletado ao acaso caminhando-se em zigue-zague.
    • As ferramentas mais usadas são: enxadão, cavadeira, trado holandês, trado de rosca e sonda.
    • Em caso de enxadão e cavadeira, cada ponto deve ser coletado da seguinte maneira:
      - Limpar levemente a superfície (mato e detritos)
      - Cavar até 20 cm de profundidade
      - Retirar uma fatia de cima até o fundo, com mais ou menos de 3 cm de espessura, numa das paredes do buraco.
      - Colocar a fatia num saco plástico ou num balde plástico limpo.
      - Seguir para o próximo ponto
    • No final, misturar bem a terra coletada, evitando o contado direto com as mãos, retirar uma porção de 300 a 500 mL e colocar na embalagem apropriada.
    • Identificar a amostra e enviar para a SASAHARA.
    • Se preferir, solicite um técnico para coleta da amostra em sua propriedade (agricultura@sasahara.com.br)

Boas práticas de armazenagem de grãos

Armazenar adequadamente consiste em manter a guarda e conservação dos produtos alimentícios de acordo com os padrões de qualidade. A armazenagem de grãos é parte importante do agronegócio, portanto, deve ser incorporada ao processo da cadeia produtiva, que vai desde o plantio até a comercialização e industrialização.

Estima-se que no Brasil 20% da produção anual de grãos seja perdida entre a colheita e o armazenamento e que metade dessas perdas são devidas ao ataque de pragas durante o armazenamento. O maior índice dessas infestações acontece nas fazendas onde as instalações são mais rústicas. Alguns insetos podem atacar esses produtos, causando enormes prejuízos.

Basta um pequeno número de insetos-pragas para iniciar uma infestação que pode provocar a destruição dos grãos. É incrível a velocidade de multiplicação dessas pragas. Por exemplo, uma fêmea fecundada pode produzir 400 ovos que, em 30 dias, serão insetos adultos que também irão se reproduzir. Cada larva proveniente desses ovos pode destruir muitos grãos antes de atingir a maturidade. Além disso, existe a destruição causada pelos besouros adultos e a entrada de microorganismos nocivos na massa de grãos.


História